domingo, 17 de janeiro de 2010

Foz do Iguaçu - Patrimônio Natural da Humanidade

Localizada no estado do Paraná, com aproximadamente 320 mil habitantes, é caracterizada por sua diversidade cultural. São 80 nacionalidades, sendo que as mais representativas são oriundas do Líbano, China, Paraguai e Argentina.
Integrada à região trinacional, Foz do Iguaçu faz divisa com a cidade argentina de Puerto Iguazú e com a cidade paraguaia de Ciudad Del Este.
A base da economia da cidade está no turismo, com destaque para o comércio e serviços.

Foz do Iguaçu, com toda a sua diversidade de atrativos, representa um dos mais belos destinos turísticos do mundo. Possui riquezas naturais incomparáveis, como o Parque Nacional do Iguaçu, tombado como Patrimônio Natural da Humanidade e onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu.
Outro ícone impulsiona o turismo local: Itaipu, a maior hidrelétrica do mundo em produção de energia. E, dentro do Complexo Turístico de Itaipu, o turista pode visitar o Ecomuseu, o Refúgio Biológico Bela Vista e também assistir à Iluminação da Barragem.
Próximo ao Parque Nacional encontra-se o Parque das Aves, onde o visitante se depara com as mais diferentes espécies de aves em seus habitats naturais.
Outro passeio imperdível é ao Marco das Três Fronteiras, divisa do Brasil com o Paraguai e a Argentina, podendo-se apreciar os três marcos simultaneamente, além do encontro dos rios Iguaçu e Paraná.
A cidade dispõe ainda de atrativos culturais, com ênfase para a arquitetura religiosa, com a Igreja Matriz, o Templo Budista e a Mesquita Muçulmana.

Cidade com cerca de 320 mil habitantes, é caracterizada por sua diversidade cultural. São 80 nacionalidades, sendo que as mais representativas são oriundas do Líbano, China, Paraguai e Argentina.
Integrada à região trinacional, Foz do Iguaçu faz divisa com a cidade argentina de Puerto Iguazú e com a cidade paraguaia de Ciudad Del Este.
A base da economia da cidade está no turismo, com destaque para o comércio e serviços.

Foz do Iguaçu, com toda a sua diversidade de atrativos, representa um dos mais belos destinos turísticos do mundo. Possui riquezas naturais incomparáveis, como o Parque Nacional do Iguaçu, tombado como Patrimônio Natural da Humanidade e onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu.
Outro ícone impulsiona o turismo local: Itaipu, a maior hidrelétrica do mundo em produção de energia. E, dentro do Complexo Turístico de Itaipu, o turista pode visitar o Ecomuseu, o Refúgio Biológico Bela Vista e também assistir à Iluminação da Barragem.
Próximo ao Parque Nacional encontra-se o Parque das Aves, onde o visitante se depara com as mais diferentes espécies de aves em seus habitats naturais.
Outro passeio imperdível é ao Marco das Três Fronteiras, divisa do Brasil com o Paraguai e a Argentina, podendo-se apreciar os três marcos simultaneamente, além do encontro dos rios Iguaçu e Paraná.
A cidade dispõe ainda de atrativos culturais, com ênfase para a arquitetura religiosa, com a Igreja Matriz, o Templo Budista e a Mesquita Muçulmana.
No aspecto arquitetônico, destacam-se ainda as Pontes Internacionais da Amizade, na divisa com o Paraguai e Tancredo Neves, divisa com a Argentina.

Atraídos pelas cataratas do rio Iguaçu, um conjunto de 275 quedas d água que chegam a 90 metros, os turistas encantam-se não somente com o visual, mas com as diversas maneiras de apreciá-lo.

Vida Noturna

A diversão noturna divide-se entre Foz, Ciudad Del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina), concentrando-se nos restaurantes, bares e boates, a maioria no interior dos hotéis. Um dos mais concorridos é o argentino Iguazú Grand Hotel, de arquitetura e decoração suntuosas, que oferece ainda shows de tango e um dos melhores cassinos da região, o Casino Iguazú, com mesas de Roletas, Black Jack, Poker e Dados, além de caça-níqueis.

HOSPEDAGEMO parque hoteleiro dispõe de estabelecimentos para todas as necessidades e expectativas dos visitantes. Há hotéis com moderna estrutura para eventos, com inúmeros equipamentos e atividades de lazer, com gastronomia variada.
Há os estabelecimentos de estrutura média e pequena, acessíveis àqueles que buscam conforto com baixo custo. Há também as pousadas, algumas com serviços personalizados aos turistas estrangeiros.
Os campings e albergues de turismo agregam opções aos visitantes e os motéis e flats integram a hospedagem extra-hoteleira, indispensável em qualquer destino turístico.

GASTRONOMIA
A gastronomia pode ser comparada à existente nos grandes centros turísticos do país. Localizada no coração da Bacia do Prata, que engloba os rios Paraná, Paraguai e Uruguai, Foz do Iguaçu só poderia ter os peixes como as estrelas da gastronomia regional. O prato típico é o Pirá de Foz, à base de dourado e surubim, e preparado com mandioca, espinafre, arroz, cenoura, pimentão vermelho, gengibre e temperos diversos.
A maioria dos restaurantes de Foz fica no Centro da cidade e muitos estão dentro de hotéis. Nos cardápios internacionais, pratos com sabores orientais, latinos e europeus.

O CLIMA - O clima predominante é subtropical úmido, podendo atingir no verão temperatura superior a 40ºC e no inverno chegar a uma temperatura abaixo dos 5ºC.

Como Chegar

De avião - Há vôos diários partindo das principais capitais do país.
De carro - Vindo do Norte ou do Sul, acesso pela BR-116 até Curitiba e BR-277.
De ônibus - As empresas São Geraldo (0800-704-3496), Pluma (0800-646-0300) e Nova Integração (http://novaintegracao.com.br/) têm saídas das principais capitais do país.

PARQUE NACIONAL

A história do Parque Nacional começa no ano de 1916, com a passagem por Foz do Iguaçu de Alberto Santos Dumont, o "Pai da Aviação", seu legítimo "fundador". Aquela área pertencia ao uruguaio Jesus Val. Santos Dumont intercedeu junto ao Presidente do Estado do Paraná, Affonso Alves de Camargo, para que fosse desapropriada e tornada patrimônio público, sendo declarada de utilidade pública no mesmo ano. Em 1939 foi criado o Parque Nacional do Iguaçu.

A HISTÓRIA DAS CATARATAS

Muitas lendas indígenas contam a formação do maior conjunto de quedas d'água do planeta. Uma delas diz que os índios caingangues, que habitavam as margens do Rio Iguaçu, acreditavam que o mundo era governado por M'Boy, o deus serpente, filho de Tupã. O cacique da tribo, Ignobi, tinha uma bela filha chamada Naipi. Por causa de sua beleza, Naipi seria consagrada ao deus M'Boy, passando a viver somente para seu culto. Havia, no entanto, entre os caingangues um jovem guerreiro chamado Tarobá, que se apaixonou por Naipi. No dia em que foi anunciada a festa de consagração da bela índia, quando o cacique e o pajé bebiam cauim (bebida feita de milho fermentado) e os guerreiros dançavam, Tarobá fugiu com Naipi em uma canoa, que seguiu rio abaixo, arrastada pela correnteza. M'Boy ficou furioso quando soube da fuga e penetrou nas entranhas da terra. Retorcendo seu corpo, produziu uma enorme fenda que formou uma catarata gigantesca. Envolvidos pelas águas, os fugitivos foram tragados pela imensa cachoeira. Naipi foi transformada em rocha logo abaixo da cachoeira, fustigada pelas águas revoltas. Tarobá foi convertido em uma palmeira, situada à beira do abismo. Debaixo dessa palmeira existe uma gruta, de onde o monstro vingativo vigia eternamente suas vítimas.

As Cataratas do Iguaçu são responsáveis pela vinda a Foz do Iguaçu de um grande contingente de turistas, oriundos de todas as partes do mundo.
Em 2005, o Parque Nacional do Iguaçu - que abriga as Cataratas - contabilizou mais de um milhão de visitantes, um recorde só registrado na década de 80.
O Parque, que faz divisa com a Argentina, proporciona aos visitantes no lado brasileiro uma visão privilegiada das quedas, com dimensão panorâmica. No país vizinho, a vantagem é o contato e integração com a natureza, podendo-se ver os saltos de vários ângulos.
O ideal é conhecer os dois lados, uma vez que as estruturas existentes proporcionam diferentes sensações, seja por meio de caminhadas, transporte rodoviário especializado ou agradáveis passeios de trem em meio à selva.

A MELHOR ÉPOCA para ver as cataratas é durante o verão, quando o volume de água é maior, as chuvas são mais rápidas e as árvores ainda estão floridas. Nos meses de setembro e outubro chove bastante. Em qualquer época do ano, capas de chuva são imprescindíveis para quem não quer molhar a roupa durante os passeios pelo Parque do Iguaçu.

CATARATAS - LADO BRASILEIRO
A palavra Iguaçu significa "água grande", na etimologia tupi-guarani. O rio nasce próximo a Serra do Mar e deságua no rio Paraná.
A disposição dos saltos – a maior parte deles voltados para o Brasil – proporciona a melhor vista para quem observa o cenário a partir do lado brasileiro.
Após uma ampla curva e uma corredeira, o leito principal do rio, onde está a fronteira Brasil-Argentina, precipita-se em uma profunda fenda de erosão, formando a Garganta do Diabo.
CATARATAS - LADO ARGENTINO
As passarelas e trilhas oferecem uma visão diferente e uma proximidade maior dos visitantes com as quedas d'água do que do lado brasileiro.
O passeio é dividido em dois circuitos: superior e inferior. Há momentos em que os saltos podem ser vistos do alto; já em outros, as quedas podem ser vistas de baixo. Além disso, um diferencial no Parque Argentino é o passeio de trem, do Centro de Visitantes até a Garganta do Diabo.

ECOTURISMO

A região guarda sensações fantásticas para os amantes da natureza. Foz do Iguaçu é escolha certa para os que querem sentir a natureza de perto, com a calma e tranqüilidade que o momento e a paisagem exigem. Aqui o visitante pode percorrer trilhas a pé ou de bicicleta, e também fazer passeios pelo rio Iguaçu em botes infláveis, com possibilidade de avistar, ao longo dos caminhos, animais silvestres nativos.

Trilha do Poço Preto
Trilha de 9 km, feita a pé ou de bicicleta, com o acompanhamento de guias bilíngües. Logo após, uma ponte pênsil leva a outra trilha rústica de 500 m, ao final da qual se tem uma vista panorâmica da floresta, com destaque para a Lagoa do Jacaré. Na seqüência, navega-se em um barco bimotor pelo alto do rio Iguaçu, passando pelo Arquipélago das Taquaras. O retorno é feito pelas corredeiras, com passagem pela Ilha dos Papagaios, e o desembarque pode ser feito tanto no Porto Bananeiras quanto no Porto Canoas. Passeio realizado mediante reserva.

Trilha das Bananeiras - Trilha de 1,6 km, que pode ser percorrida a pé ou de bicicleta, sempre acompanhado de guias especializados. O passeio combina navegação em bimotores pelo rio Iguaçu, chegando ao cais do Poço Preto e visitando uma "casamata" de 10 metros de altura. Também há a opção de passeios em ducks, pela Ilha da Taquara. O retorno é feito pelo Porto Bananeiras ou pelo Porto Canoas. Passeio realizado mediante reserva.

Floating - O passeio é feito em barcos de floating - uma espécie de barco inflável, totalmente silencioso - saindo do Porto Bananeiras e chegando ao Porto Canoas. Durante o passeio é possível avistar a fauna e a flora do parque, principalmente as espécies aquáticas. Todo o trajeto é acompanhado por guias especializados.

Porto Canoas - Passeio curto, saindo e retornando ao Porto Canoas, com observação da parte superior das Cataratas do Iguaçu, com duração de 30 a 40 minutos. O Porto Canoas é a estação final do transporte interno do parque, contando com serviços de sanitários, ambulatório, ambulância, telefones públicos e praça de alimentação. Passeio realizado a cada 30 minutos.

Linha Martins - Localizada em São Miguel do Iguaçu, a trilha de 3,7 km corta a mata do Parque em direção ao rio Iguaçu. O passeio combina caminhada com atividades aquáticas. Para chegar à trilha, o visitante sai de Foz do Iguaçu até chegar ao portal de entrada, percorrendo uma histórica estrada de terra. São três as opções de passeio: Passeio Linha Martins Só Selva, Passeio Linha Martins Com Barco e Passeio Linha Martins Completo. O passeio é realizado mediante reserva.

ECOAVENTURA

Um misto de natureza e adrenalina que só esta região pode proporcionar. Poucos lugares no mundo oferecem ao visitante tão prazerosa sensação no contato direto com a natureza quanto em Foz do Iguaçu.
Duas sensações podem ser usadas na descrição deste paraíso: emoção e encantamento, andando nas alturas em meio às árvores, fazendo rapel, escalada ou tirolesa, ou desafiando o rio Iguaçu e suas corredeiras no Macuco Safári ou no rafting, com uma completa estrutura de apoio e segurança.

CAMPO DE DESAFIOS CÂNION IGUAÇU

Localizado no Parque Nacional do Iguaçu, o Campo de Desafios Cânion Iguaçu desenvolve várias atividades de ecoturismo e turismo de aventura, como a prática de arvorismo, tirolesa, rapel, rafting e escalada em rocha, todas voltadas para o turismo de aventura, ecoturismo e treinamento de grupos.

MACUCO SAFÁRI

O passeio começa no Parque Nacional do Iguaçu, a bordo de uma carreta puxada por um jipe, e durante 3 km guias bilíngües relatam histórias e curiosidades sobre a fauna e flora da região. Logo após, há uma caminhada de 600 metros pela trilha, permitindo contato direto com o meio ambiente, conduzindo ao Salto do Macuco, uma cachoeira de cerca de 20 metros de altura.

A última e mais emocionante etapa da aventura é a subida pelo cânion do rio Iguaçu em direção à Garganta do Diabo em barco inflável, chegando bem próximo às Cataratas.

Informações Úteis
  • Circulando - fácil dirigir em Foz do Iguaçu - a cidade é bem sinalizada e não há dificuldades para chegar aos atrativos turísticos. Evite ir de automóvel fazer compras em Ciudad del Este. Prefira os táxis ou ônibus – a pé, o risco de assalto é grande ao longo dos dois quilômetros da Ponte da Amizade.
  • Agências Bancárias: ABN AMRO/Real, Banco do Brasil Bradesco, CEF, HSBC, Itaú, Santander, Unibanco.
  • Evite visitar as Cataratas no inverno, quando o volume das águas costuma diminuir. O verão é a melhor época para ver as quedas d’água com força máxima. A mata também costuma ser mais exuberante neste período.
  • De Curitiba, são sete horas (645 km pela BR-277) até Foz. Prepare o bolso. Há nove pedágios (ida e volta) até lá. Dentro do parque, ônibus de dois andares levam às passarelas.
  • Ha possibilidade de visitar o Paraguai e Argentina – países que ficam a poucos quilômetros de Foz. Vale à pena conhecer o lado argentino das Cataratas, que conta com quase 5 km de passarelas.
    Endereço Lado Brasileiro: Rodovia das Cataratas, km 18 - Parque Nacional do Iguaçu. Horário de Funcionamento: Diariamente (inclusive feriados), das 9h às 17h e das 9h às 18h (horário de verão).Dá para ver as quedas das passarelas, quase dentro d'água. Também de cima, de helicóptero (45/3529-7474; R$ 2 200, para quatro pessoas).
    Endereço Lado Argentino: Acesso pela Rodovia Nacional nº 12 - Puerto Iguazú - Misiones / Intendência do Parque: Av. Victoria Aguirre, 66 - Puerto Iguazú – Misiones. Horário de Funcionamento: diariamente (inclusive feriados), das 8h às 18h.
  • Atenção - Para visitar as cataratas argentinas é imprescindível apresentar documento de identidade original ou passaporte válido, inclusive para crianças de qualquer idade.
  • As moedas – brasileira, argentina e paraguaia são aceitas em praticamente todos os estabelecimentos dos três países.
  • Quatro dias são suficientes para conhecer os principais atrativos.
  • Cotas de Compras nas Aduanas: Para o turista que realizar compras no Paraguai ou na Argentina e retornar pelas pontes internacionais (via terrestre), a cota é de US$ 300.00. Retornando de avião de Assunção ou Buenos Aires e desembarcando no aeroporto internacional de Foz do Iguaçu, a cota é de US$ 500.00. Estes valores podem ser utilizados uma vez a cada 30 (trinta) dias, sendo a cota pessoal e intransferível. Se ocorrerem compras em período menor, o imposto será calculado sobre o valor total dos produtos adquiridos no período e não sobre o que exceder. Em caso de aquisição de produtos que tenham valor superior à cota, será necessário providenciar o pagamento do imposto que é de 50% (cinqüenta por cento) calculado sobre o valor que exceder o limite de isenção. Após as compras e ao retornar ao Brasil, o turista deverá preencher na aduana o formulário de Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), mesmo que as mercadorias não ultrapassem os US$ 300,00, especificando dados pessoais e assinando o documento. O formulário de DBA encontra-se disponível no site da Receita Federal http://www.receita.fazenda.gov.br/
  • Na Argentina - vale a pena comprar cosméticos e bebidas, apesar de ser mais caro do que no Paraguai. O bom lá é que você consegue sentir as fragrâncias dos perfumes (o que não é fácil no Paraguai). Então escolha os perfumes na Argentina e compre-os no Paraguai.
  • No Paraguai são muitas as opções de compras. Pesquise antes na internet as lojas e produtos que você deseja adquirir. Lá o Real é aceito, mas o melhor é levar dólar, pois eles utilizam uma cotação maior da moeda, e cada loja pratica uma diferente. Leve calculadora e vá disposto a brigar pelo preço, ou leve dólar. Não é recomendável utilizar cartão de crédito, porque aí sim é que eles aumentam os preços. Se tiver disposto a usar seu cartão, não dispense o uso de calculadora. Para chegar lá, vá de ônibus, Ciudad Del Leste, passa na Av JK.
  • O Marco das três fronteiras - visite se você estiver de carro. Se for de ônibus vai ter que andar um bom trecho a pé, porque é bem afastado da cidade. Se for de táxi negocie o preço antes porque você deve gastar uns 10 minutos para conhecer, e às vezes o preço não vai compensar.
  • Horários - Há uma diferença de 1 hora de atraso no fuso horário do Paraguai em relação ao Brasil. O fuso horário da Argentina em relação ao Brasil é o mesmo; entretanto, durante o nosso horário de verão, também a Argentina fica com 1 hora a menos. Desta forma, deve-se ficar atento para os horários comerciais dos três países.
  • Ligações telefônicas - em ligações de Foz do Iguaçu para Cuidad Del Este (Paraguai), discar: 561+ o número desejado. Em ligações de Foz do Iguaçu para Puerto Iguazú (Argentina), discar: 557+ o número desejado.
  • Códigos Internacionais: - Brasil (55) - Argentina (54) – Paraguai (595).
  • Documentação – Viajantes Brasileiros - serão aceitos única e exclusivamente para trânsito fronteiriço na região do MERCOSUL os seguintes documentos:
    - Passaporte; ou Cédula de Identidade Civil (RG). Não serão aceitos como documentos válidos para a passagem de áreas de fronteiras quaisquer outros tipos de documentos expedidos no Brasil, mesmo se aceitos como documentos de identidade em nosso país.
    Veja os seguintes exemplos de documentos não aceitos:
    - Certidão de Nascimento (não substitui os documentos de Cédula de Identidade Civil ou Passaporte mesmo para recém nascidos ou para menores de idade);
    - Carteiras de Identificação Profissionais (OAB, CRM, outros);
    - Carteira de Habilitação de Motorista;
    - CPF;
    - Outros.
  • Outras situações: crianças também devem portar os documentos necessários, uma vez que em nenhuma circunstância se exclui a apresentação de Cédula de Identidade Civil ou Passaporte, mesmo quando a criança for de colo, ainda que se tenha em mãos a Certidão de Nascimento. Além do documento de viagem, menores (brasileiros) desacompanhados dos pais devem portar uma autorização judicial, com "prazo de validade" e destino da viagem. Menores acompanhados de um dos pais devem portar autorização de viagem assinada pelo outro genitor, com firma reconhecida em cartório, também com previsão da data do embarque, destino e retorno. No caso de viagem para o MERCOSUL, os menores deverão apresentar este documento à autoridade de controle imigratório de seu país de origem, para carimbo de controle migratório, sendo somente aceito no país de destino após todos esses procedimentos.
  • Viajantes de outras nacionalidades - será solicitada junto aos turistas estrangeiros a apresentação dos seguintes documentos:
    - Passaporte; ou
    - Passaporte acompanhado de Visto Consular (quando requisitado pela autoridade nacional em questão).
  • Os estrangeiros com residência regular em algum Estado Parte ou Associado do MERCOSUL poderão transitar com os respectivos documentos de “permanência” emitidos pelo país de residência, desde que, em virtude de sua nacionalidade, o visto consular seja dispensado pelo país de recepção. Caso contrário deverá apresentar, necessariamente, passaporte de seu país e o visto correspondente. Para mais informações, clique no link abaixo: http://www.conbrasil.org.ar/ (Consulado Geral do Brasil em Buenos Aires).
  • Distâncias: Curitiba - 648 km/Cascavel - 141 km/Maringá - 411 km.
Boa viagem

Nenhum comentário: